Entradas por saídas

* Desta vez vi na capa a palavra mágica «Musil»... [A Janela do Ocaso]

* A propósito de uma nova tradução de «O Homem Sem Qualidades»... [Patologia Social]

Lisboa na rua

* Esta noite que findou há bocado, tomei em mãos o Júlio César Machado, na sua «Lisboa na Rua», na belíssima edição da Frenesi... [A Revolta das Palavras].

* Se não existisse Direito o homem tinha de o inventar... [Patologia Social]

O bando crocitante

* Foi agora mesmo, ao tentar encontrar espaço para um livro antigo, de ensaios literários... [O Ser Fictício].

* Ia para copiar a citação e reafirmar o ontem dito, quando um estranho sentimento de revisitação surgiu como uma sombra de mim... [A Janela do Ocaso].

Uma bomba relógio

Recomeçou a sua vida. Trocou a indumentária de ocidental pelo quimono, calçava uma modestíssimas guettas... [O Ser Fictício].
Ontem ofereceram-me um lindo e discreto relógio com marca de relógio, ponteiros de relógio, daqueles que marcam horas e numa janelinha que dia é... [A Janela do Ocaso]

Mais de metade

* É um pensar interrogativo e dubitativo, uma ladainha de hesitações... [A Janela do Ocaso].

* Quinze anos passaram sobre tudo isto... [A Revolta das Palavras].

Regressado aos Céus

* Pelas quatro da madrugada a passarada arranca, em cantoria, a anunciar a chegada do dia... [A Janela do Ocaso].

Noite e dia

Muita gente está de férias e por isso não escreve. No meu caso estou a trabalhar e por isso escrevo pouco. A ideia que fica é que a blogoesfera está a ficar um lugar onde só se vem quando há tempo. Está mal. Escreve-se por que se vive, e vive-se todos os dias e em alguns casos de dia e de noite!

O obsessivo prefácio

* Os tempo que correm são para o atrevimento verbal, para a ousadia vocabular, para o arrojo opinativo. Só que eu sou este. Estou numa profissão e aceitei um cargo cujo perfil interpreto deste modo... [Patologia Social]

A ausência

* Desde há vários dias que não tenho escrito em nenhum dos muitos blogs, pelos quais me divido. É esta a verdadeira razão da sua multiplicidade, eu poder ter a liberdade de sentir que não quero a um menos do que a outro quando me encerro na ausência.

* Hoje, sexta-feira, dia 14, perfazem cinco anos que faleceu Maria Ondina Braga... [Maria Ondina Braga].

O dia de Eva

* Por causa desta mulher escrevi um livro que é uma despercebida carta de amor... [O Mundo das Sombras].

* Poderia ter escrito tanto sobre tanta coisa de tanta mulher... [A Janela do Ocaso].

* A pendenga entre as corporações jurídicas começou há alguns anos... [Patologia Social].

O dia em que a cidade arrefeceu

* Li o breve livro numa pausa deste fim de tarde em que a cidade arrefeceu... [A Janela do Ocaso].

* No mais, gosto das outras livrarias, de todas as livrarias... [A Revolta das Palavras].

Esgotado de prazos

Sei que tive dificuldade em compreendê-la, coleccionando-lhe os livors para os ler um dia, quando fosse capaz... [A Janela do Ocaso]