Dies irae

Finalmente, restam as pessoas que se conhecem, que gostam de nós, que se zangam, que se vão, que nós deixamos... [O Ser Fictício]

O espírito do lugar

* Talvez haja neste irado lugar mais voyeurs do que escritores... [A Revolta das Palavras]

* É uma das palavras mais sentidas nas línguas que a tenham... [Espantosa Língua]

Aquela pálida madrugada

* Não é, claro o «rognon de veau avec pommes frites» mais as «fraises du bois»... [A Posta Restante]

*Estou só, sempre o fui, um individualista marginal. Neste meu canto, vendo as comemorações cada mais oficiais, cada vez menos populares, cada vez no ghetto, pergunto-me sombriamente: Abril valeu a pena?... [A Revolta das Palavras]

O prazo irrealizável

* Uma amiga minha enviou-me um link para os mapas de metropolitano de todo o mundo... [A Janela do Ocaso].

* Chegou ontem, graças à gentileza dos meus amigos Abel e Pedro, a fotobiografia de Clarice Lispector... [Clarice Lispector].

O serviço alfa

O Musil não se pode ler em passo de corrida, porque aperta o coração e esfalfa os sentimentos... [A Janela do Ocaso]

Vodka Martini

Penso que nesta curta frase está tudo dito sobre o que eu ando a fazer, na companhia dos outros, o resto da semana... [Patologia Social].

P. S. As provas não chegaram! Aleluia, que assim ganho mais tempo e evito confrontar-me com as gralhas e recear não ter dado conta dos erros.

Uma agenda pesada

Se a GNR se sente envergonhada ou honrada por ter sido metralhada pelos militares é uma questão de honra que tem de dirimir... [A Revolta das Palavras]

O relógio de pulso

* Há na escrita de Maria Ondina Braga uma constante espiritualidade sensualizada, o extâse e o clímax num acto só... [Maria Ondina Braga]

Perdidos e achados

Nesta vida confusa, carregadas de deveres, em que os lazeres se tornam obrigação para se sobreviver e os prazeres excepções à regra das necessidades, uma pessoa perde-se. A PSP ajuda com os perdidos e achados na Net: procurem aqui, pode ser que se encontrem.