Dies irae

* Chama-se a isto um governo socialista apoiado por uma oposição social-democrata... [juntos contra os do costume, como se pode ler aqui]

* O juiz Dr. António Martins perdeu a cabeça e com isso perdeu a razão... [mas acho, como digo aqui, que ainda há um caminho possível]

Cotação em baixa

Esta noite o primeiro-ministro, se tivesse o sentido da responsabilidade tinha aparecido na TV a dar a cara... [mas não esteve, como disse aqui, revoltado]

Ficamos por aqui

* Conseguira encontrar na sua cara uns outros olhos, no seu rosto um esgar aberto sem rugas e, sobretudo, uma nova forma de estar... [mas a história acaba mal...aqui]

* Nos círculos do poder murmura-se que o País atravessa uma situação altamente perigosa.. [e mente-se sobretudo mente-se]

Domingo feriado

Satura a precariedade e o consequente feio, o intervalo prolongado que é continuar-se assim [poética matutina, dissolvente e dissoluta, aqui]

Dias difíceis

Comemora-se amanhã o dia 25 de Abril. Cada um comemora o seu... [mais aqui, no blog A Revolta das Palavras]

Mas não parará de chover?

Tentando ter dos tribunais os tiques, as comissões parlamentares de inquérito permitem-se... [e muito mais aqui]

Enfim a preguiça!

* Davam-lhe ao domingo saudades... [sem relação com coisa alguma...]

* Dono de si mesmo hoje está quase esquecido... [a propósito do Ruben A.]

* Ele foi o homem que, estando a morrer, considerara traição ter-lhe sobrevivido. Em 1938 casaria com a pintora Elena Muriel... [a propósito de Ferreira de Castro, eis aqui o texto de uma crónica que mantive num jornal que entretanto encerrou].

Cerejeira florida

Acorda um homem, os pés incertos e as estrelas dormentes... [e escrevi aqui, gaveta de dispersos]

Sono e chuva

Assim mesmo como uma aspa, como se o legislador citasse algo. Fim de citação!... [a propósito de mais uma alteração legislativa, desta vez sobre férias, de que o legislador está a precisar e prolongadas]

Retorno

«Não é só o impossível legislativo se tem de ter por não escrito, o judiciariamente difícil passa a não obrigatório». Escrevi isto, reabrindo este blog, para nele comentar uma decisão que noticiei neste site.


Retornado aos deveres

* A ânsia de martírio é amiúde uma forma mascarada do desejo de apreço [e tudo isto por ter estado a ler sobre Pascoaes, nesta manhã de sol]

* A eternidade repetitiva pode parecer atroz ao espectador... [e talvez haja um Sísifo mediocremente feliz]

O cão solitário

* Mesmo que a minha aparência o desminta, acreditem que se escrevesse música era esta... [anarquicamente]

* A lei contra a corrupção dos magistrados é a lei de uma democracia corrupta [a ser verdade o diz-se]

* Fezes por passageiros... [e não se esqueça de levar moedas de um euro ou faz na mão]

* Tudo cai, a Pátria, a Nação, o País, por esta ordem... [apesar do que pensa o Zé-Macho]

A paciente reconstrução

* Uma pessoa lê isto e imagina aqui um amanuense da sua própria escrita... [retomando uma longa viagem]

* É só um frio na espinha num primeiro instante, depois a alegria infinita de ter acertado... [o inaceitável hoje]

Morte e ressureição

* A mesma Igreja cai hoje de joelhos aos pés da cruz... [porque é o Dia da Paixão]

* Há quem intervale para ainda ter férias há quem pare para que ainda tenha trabalho. Entretanto surgiu assim, organizadamente.

* Filho de advogado literato e por isso pobre, Nicolau Maquiavel, cultor das letras, pobre morreu também... [porque há coisas que fazem sentido]