Haverá livros?

Fantástico verbo «desencantar»... [A propósito de Luís Amorim de Sousa, aqui]