Regressando

* O resto vem aqui e segue, em Mato Grosso... [Patologia Social]

* São dois mundos inconciliáveis: o primeiro a supor que a riqueza traz felicidade... [A Revolta das Palavras]

Folha em branco

Talvez houvesse motivo. Falta a vontade. É uma razão, ou talvez um sentimento. Tanto faz. Hoje a folha fica em branco.

A casa vazia

Escorrendo suor, lágrimas a misturarem-se, uniam a sua forma rude de dizerem que lhes doía a alma... [A Janela do Ocaso]

The day after

O dia de hoje e a noite confundiram-se. Quando dei por ela tinha chegado o dia seguinte.

E se amanhã fosse Domingo outra vez?

* Deu-me esta manhã para visitar os que me visitam... [A Revolta das Palavras]

* Houve um sujeito que se deu ao trabalho de viajar pela antiga URSS e coleccionar em livro uma caterva de anedotas anti-soviéticas... [A Revolta das Palavras]

* E estamos em Junho, cogitei eu... [A Reciclagem do Ser]

P. S. Cheguei a casa e tinha os amigos a avisarem: cuidado com as gralhas! Irritado comigo,e a implicar com quem avisa, lá fui emendar!. Era chamar José ao Vitorino Magalhães Godinho, era escrever duas vezes a palavra «lançar», eram palavras comidas. Quanto a estas, tomei o caso como sintoma de fome. Resolvi o problema com uma caldeirada de peixe. Esqueci-me de pôr as batatas antes, ficaram um bocado encruadas! Mas reguei-lhe com vinho de Penalva de Castelo, a terra do meu pai, que outrora se chamava Castendo! Obrigado Miguel, obrigado Margarida. À vossa saúde, porque são família, eu que vivo como se a não tivesse.

Dia de artigo

* Depois ainda há o ponto e vírgula... [Espantosa Língua]

* Abri-o ao acaso e na página 181 eu tinha sublinhado... [A Janela do Ocaso]

* Talvez por ter almoçado sardinhas no senhor Manuel... [Irene Lisboa]

Les Noctanbules

* É bom sermos muitos e diversos... [A Janela do Ocaso].

* Há uma idade em que uma pessoa olha para umas calças de sarja e se pergunta... [O Ser Fictício].

* No fundo, o problema é a falta de um Purgatório... [A Revolta das Palavras]

O dia de fechar Lisboa

* Bons deuses! E como justificais vós as trovoadas... [O Ser Fictício]

* Portugal repovoava-se como outrora se reflorestou... [A Revolta das Palavras]

Carrasco

De novo, só as obrigações. «Obrigação é de carrasco», dizia a minha mãe, talvez por achar, que de tudo o mais deve fazer-se só o que se quiser.

Chaminé da Mota

* Tenho-o agora aqui comigo, impossível lê-lo esta noite, porque vai ser mais uma madrugada de trabalho obrigatório... [Irene Lisboa]

* Dizemos que uma lei é justa ou infame... [Patologia Social]

A mansarda

* Chegou-me hoje, por amizade carinhosa, a história de Laura... [Clarice Lispector]

* O pensamento pátrio começa a reduzir-se a isto: exumação e panegírico fúnebre... [Geometria do Abismo]